Connect with us

Hi, what are you looking for?

Armando Louder

Quântico Romance desenvolve seu universo no Synthpop

Quântico Romance é fruto de uma série de parcerias, equilibrando sintetizadores e batidas dançantes, levam hoje uma doce e desconcertante melodia com experiências do Synthpop ao seu próprio universo musical.  Sua passagem pela Plainsong trouxe um single com 2 novas canções.

Pra começar vamos bater um papo e já gostaria de agradecer pelo seu tempo e disposição para essa entrevista.

Prazerzaço é meu poder bater esse papo para a Plainsong.io. 🙂

1 – Sabemos que a Quântico Romance, tem como integrante Diego Mode da Cubüs, como funciona a parceria para a composição dos singles, e o estilo da banda para sua desenvoltura ao vivo?

Karlos Junior: Nossa parceira na Quântico Romance, colocando em perspectiva, é recente pois estabelecemos esse arranjo de Gig na edição de 2019 do Caxias Music Festival. Explico: naquele ano, a Cubüs foi anunciada como atração do Caxias Music Festival e o Diego me convidou para uma participação. Após o show ele me convidou para voltar à banda e sugeri então que ele viesse a tocar comigo na Quântico Romance. É uma troca equivalente justa, de forma que nós dois podemos compor uma só Gig e fortalecer nossas bandas-irmãs juntos.

A gente ainda não conseguiu efetivamente trabalhar juntos no sentido criativo (composição musical e ideias), veio 2020 e com o ano a pandemia e o isolamento social. Pra piorar veio a modalidade de trabalho Home Office que particularmente pra mim foi muito desgastante. Não conseguimos ter uma rotina de ensaios nem brainstorms, então conseguimos apenas ensaiar para as transmissões do Alternative Live Festival e do Caxias Music Festival. Agora com o advento da vacina e da imunização, a gente pode ter segurança para planejarmos as próximas etapas para ambos os projetos. Em termos de “Ao vivo”, minha ideia é fazer o máximo de coisas possíveis no sentido de reduzir a dependência de backing tracks, talvez convidando outros amigos músicos em participações especiais ou possivelmente integrantes finais. Vamos ver as alternativas que se apresentarem. 

2 – Lembro que o Guilherme Isnard (ZERØ ) ficou curioso com o nome da banda, assim que viu no card digital do Caxias Music Festival. Como surgiu a ideia da banda “Quântico Romance”?

Karlos Junior: O nome em si foi uma dessas sessões de brainstorm em que fui jogando ideias e nomes ao ar até que aparecesse algo que fosse sugestivo e dramático. Bruno Dorian, que tocou comigo quando éramos da banda Reforma, me ajudou nesse processo então cheguei ao sugestivo “Romance Quântico”. Um é um termo da Física, cuja área de estudos lida com possibilidades estranhas que remetem a conceitos da Ficção Científica como múltiplos universos, outros estados da matéria, partículas, etc. A ideia de possibilidades no lugar de verdades concretas e fixas me interessa no sentido de criação musical, mas sei também que o termo “quântico” é usado livremente para assuntos de esoterismo popular. Já romance é um gênero literário, que ao contrário do que muitos podem pensar não se trata exatamente de relações amorosas, mas tem o apelo sugestivo que me interessava no sentido de poder abordar qualquer assunto nos temas das músicas. Depois inverti os termos chegando assim em Quântico Romance. Soa legal certo? 

A razão mesmo é que eu não queria voltar a usar o “Technofactor” como nome da banda, principalmente porque não queria me associar a um determinado tipo de música como a palavra “techno” pode sugerir. Então mudando o nome e deixando em aberto o tipo de som que eu pretendo fazer, foi uma forma que encontrei de me inspirar e não limitar o estilo da banda. Embora a maioria das músicas seja mais para o Synthpop, de fato, eu gostaria de fazer qualquer outro som sem necessariamente implicar em descaracterização do projeto.

Creio que super deu certo já que até despertou a curiosidade do Guilherme Isnard, uma das lendas vivas dos anos 80 e uma referência musical de todos nós.

3 –  Sendo um Duo que já está na ativa a muitos anos com projetos paralelos, como vocês enxergam as mudanças no cenário musical underground e como isso afeta a banda?

Karlos Junior: Pensamos que todas as mudanças que proporcionaram aos músicos a possibilidade de produzir e comercializar seus trabalhos sem precisar da chancela de uma grande gravadora só beneficiaram as sociedades ao redor do mundo. De um lado os músicos que conseguem furar a bolha do mainstream para se fazerem presentes, e do outro lado o público interessado que sabe que tem mais ofertas de música e artistas que possam lhes falar melhor aos ouvidos, mentes e corações, do que aquilo que é jogado pelos grandes conglomerados da indústria. No Brasil há uma certa cultura e históricos que diz que se sua banda não toca na rádio ou na tv, ela não existe. Só que não é assim que a banda toca, com o perdão do trocadilho.

Muitos do que hoje estão situados em algum espectro do mainstream subiram por seus próprios esforços, então não existe essa história de sua banda não poder existir. Tudo é uma jornada e cada banda precisa vivenciar suas experiências e fazer sua história.

No nosso caso, somos autossuficientes em termos de produção, criação e distribuição. Sabemos que não somos do mainstream, mas sabemos que estamos juntos no underground com tantas outras bandas e artistas maravilhosos, fazendo nossas cenas acontecerem independente de grandes aportes midiáticos ou financeiros. Como gostamos de pensar, se nossa música tocar alguém de alguma forma, independente de estrutura e poder financeiro, temos a certeza que estamos realizando uma importante missão de vida.

4 – Em todas nossas entrevistas fazemos um FAIXA A FAIXA, fale um pouco sobre a concepção do single “Sonhos Doces” e “Pesadelos (Brasileiros)”

Sonhos Doces
Começou a ser produzida em 2019, com outras músicas que deverão sair no álbum completo. A ideia, a princípio, era fazer um cover de Sweet Dreams do Eurythmics porque fiquei empolgado com o Synthmaster, um synth virtual que tinha instalado na ocasião e que tem o riff da música. A partir disso comecei a elaborar algo original, fiz o dever de composição, fui construindo os timbres e testando outros Vstis, inclusive nesta música usei o clássico Yamaha DX7 que tem aquele “cheirinho” totalmente anos 80.

A letra veio em etapas, e como de costume leio um monte de coisa entre Literatura e Poesia, até que as ideias produzam versos e se encaixem no desenvolvimento do tema. Sonhos Doces também segue a lógica de evocação de imagens e pode ser apreciado como um poema idílico sobre o sonho.

Pesadelos (brasileiros)
É algo que vinha fazendo nos intervalos do Home Office, de acordo com as notícias e situações observadas durante a flexibilização da quarentena em que tentei entender o comportamento de certos grupos de cidadãos desse nosso Brasilzão, em tempos de caos e surrealismos negacionistas. É basicamente comentário político que os fãs podem e devem entender, curtir, concordar ou não. Cada um precisa ter sua experiência com a música. No mais, é algo mais pra linha do três acordes até o fim e dance se quiser, já que a música não tem refrão.

5 – Quais bandas que mais influenciam a Quântico Romance (no Brasil e fora do país)?

Karlos Junior:São tantas e tão diferentes. Vou fazer uma geral de tudo que me influenciou pela vida e me influencia atualmente.

Legião Urbana, RPM, Titãs, Lulu Santos, Capital Inicial, Jay Vaquer, Teatro Mágico, Zé Ramalho, Uns e outros, Marisa Monte, Biquini Cavadão, Hajas, R3pvblika, Drama, The Cure, A-ha, Enya, Evanescence, Information Society, Cyndi Lauper, Madonna, Michael Jackson, Pet Shop Boys, Stevie B, Guns N´ Roses, The Birthday Massacre, The Beatles, Depeche Mode, David Bowie, Ozzy Osbourne, Nightwish, Iron Maiden, Eurythmics, Rammstein, Starship, Tears for Fears, Cause e Effect, Loreena Mckennitt, The Mission, Midnight Oil, The Sisters of Mercy, Chvchers, Pale Waves, White Lies, The Killers, Kraftwerk, KMFDM, Marilyn Manson, Queen, Erasure, Desperate Journalist, Roxette, Lana Del Rey, The Corrs, Fm84, Dance with the Dead, The Midnight, Jean Michel Jarre e muitos outros.

6 – Agradecemos por estarem conosco e confiarem na Plainsong, seria importante para todos nós citarem alguns dos artistas que admiram na plataforma. 

Karlos Junior: O que mais gostamos na Plainsong é a proximidade que temos com todas as incríveis bandas e artistas que estão conosco nesta aventura do underground e o senso de uma verdadeira comunidade realmente apaixonada por Música e pelos trabalhos que fazem. Isto posto, destacamos na Plainsong as maravilhosas Permaneço Deitada, 1983, Stenamina Boat, The Secret Shelson´s Band, Herzegovina, Tempos de Morte, Mateamargo, Halleck, True Faith, Nouvelle Vie e Johann Heyss, para citar alguns.

Todas as bandas e artistas que passam pela cuidadosa curadoria da Plainsong merecem todas as alvíssaras.    

 
Quântico Romance - EP Sonhos Doces
Quântico Romance – EP Sonhos Doces

7 –  Para finalizar, quais são os planos para o futuro, algum EP em vista?

Karlos Junior: Por conta da pandemia deste ano, decidimos adiar todos os lançamentos do Quântico Romance e reformular a estratégia. O material que vem a ser o primeiro álbum full já está praticamente definido, com algum trabalho de produção a ser feito até o lançamento mas nada que mude o que já foi planejado. Em primeiríssima mão para a Plainsong, divulgo agora que teremos singles em março, maio, julho, setembro e o álbum chega em novembro.

Com este calendário, conseguiremos fazer um run (corrida) de lançamentos de singles que anteciparão e estarão no álbum completo. Também está nos planos uma campanha para prensar esse álbum por meio de financiamento coletivo, mas isto será melhor definido no futuro próximo.

8 – Deixem um recado para os fãs e admiradores da Quântico Romance.

Karlos Junior: A todos que curtem e admiram o nosso trabalho nossa mais profunda gratidão, principalmente pela paciência após tanto tempo sem novidades. Este em especial foi um ano difícil para todos nós, e um ano em que por vezes os limites de nossa humanidade parece ter sido posto à prova. Também foi um ano em que sentimos ainda mais a importância de estar próximo a quem amamos, e o peso da responsabilidade de cuidarmos uns dos outros. Um ano em que pudemos entender o valor de coisas tão belas e efêmeras como o prazer de ler um livro, ver um filme e ouvir música. Por mais que não seja “essencial”, a vida sem música certamente seria um erro (Obrigado Nietzche!).

Se cuidem e amem sempre!

Sigam a Quântico Romance nas Redes Sociais
PLAINSONG:https://plainsong.io/album/qHHM2fnDhfTYqyn
BANDCAMP: https://quanticoromance.bandcamp.com/

Written By

Presente em projetos ligados ao universo musical, sempre busca reinventar-se, deixando de lado modelos e fórmulas prontas. Seja como músico e produtor, seu objetivo é antecipar conceitos dentro de uma veia mais underground.

Plainsong

Felipe Zauber

 O ano de 2020 foi com certeza um dos anos mais produtivos do século, musicalmente falando. Com o isolamento causado pela pandemia do...

Felipe Zauber

 É tempo de colheita no cenário underground brasileiro! E como prometido estou trazendo mais uma listagem de bandas aqui na Plaisong. Desta vez...

Felipe Zauber

Há algum tempo eu venho garimpando e criando playlists musicais de artistas e bandas organizadas por países, com o intuito de conhecer e compartilhar...

Sticky Post

Seguindo meio a linha do post anterior peguei-me ainda ligado nos idos anos 90. A banda que foi o fio condutor desse pensamento foi...

Advertisement Cadastre-se na Plainsong